Demanding to pay a fine (the volgon way)

So today I got a registered letter from my old university saying that I need to pay a fine of 4.5€. It seems I did not pay something on time in 2005. To register a letter they pay about 2€. So to get a profit of 2.5€ they did the following:

  • Someone updated a document with my name.
  • Printed the document.
  • Some supervisor signed it.
  • Someone delivered the letter to the post office.

If I don’t pay they will cancel the year, but I already have a certificate saying I have the degree. So they gave me a diploma without checking pending debts and 5 years (!!) later they send a letter that someone signed (not me) demanding to pay a fine.

Yeah… I’m going to sleep on it.

Montar PC: Como escolher fonte de alimentação

No meu último post em que explico como testar uma fonte de alimentação insisto que devemos ter uma boa fonte. E como escolho uma boa fonte de alimentação?

Potência

Normalmente as fontes são mais eficientes com cerca de 50% de carga (load). Logo convém que não seja nem muito potente (mais não é sempre melhor), nem muito fraca.

Além disso a carga varia. No meu caso se estou a ver páginas e a ouvir música gasto uns 100 watts. Se estou a jogar por exemplo o The Witcher 2 vai aos 200w. Não estou a contabilizar os meus 2 monitores de 24’’. Estes monitores gastam 35w cada, o meu candeeiro da mesinha da cabeceira gasta 65w (sim, tenho de trocar a lâmpada).

Para obter valores exactos comprei um medidor de watts (ver imagem). Custam uns 15€ mas valem o peso em ouro desde que pesem 15€ de ouro. Não façam como eu, verifiquem quais os watts mínimos e máximos que o aparelho lê. O que comprei só regista acima de 15w, logo não posso testar quanto gasta o pc em stand by. 

Este aparelho além de ser bom para saber exactamente que tipo de fonte se precisa, também ajuda a poupar energia em casa. Já receberam alguma conta de electricidade astronómica e ficaram a pensar que raio se passa? Isto encontra o problema.

Eficiência

Como falei no meu último post, as fontes de alimentação convertem AC em DC, mas conversões energéticas perdem energia pelo caminho. Logo nesta conversão gera-se calor e desperdiça-se electricidade. Nos dias que correm uma boa fonte tem o certificado 80 Plus Gold. Este certificado garante que a fonte fornece pelo menos 90% de eficiência com uma carga de 50%. Ao fim do ano com o que poupam podem fazer umas férias. Pequenas e baratas. E em casa.

Cabos modulares

Já viram aquela cena no Indiana Jones em que num jantar servem uma cobra e quando a cortam começam a sair cobrinhas por todo o lado? As fontes de alimentação são iguais, quando se tira aquela tampa da caixa começam a sair fios por todo o lado! 

E para que serve tanto fio? Muitos deles para nada. Mas fica mais barato fazer uma fonte com os fios presos do que fazer uma fonte modular em que só encaixamos o essencial. Uma fonte modular permite ter uma caixa como a seguinte:

Estão a ver o que está a acontecer? Só saem da fonte os fios necessários e estes fios passam por trás da motherboard, logo com uma fonte modular e uma caixa com buracos para a parte de trás (como esta) podemos diminuir nos fios e arrumá-los para segundo plano. Parece higiene a mais? Joguem ao munelhos e depois já têm uma ideia do que acontece quando querem meter uma plaquita PCI e o PC deixa de funcionar porque saiu um fio que nem conseguem ver… Meter um componente num PC em 2011 não devia ter semelhanças com um jogo de roleta russa.

Ruído

Tenham em atenção o ruído que a fonte faz. Convém que seja abaixo dos 40 dBA em qualquer carga. Mesmo que não tenham o PC no quarto reparem na sensação quando desligam o PC barulhento.

Expandir

Ao escolher a fonte convém contar com os upgrades possíveis. Vão meter uma placa gráfica em paralelo em SLI ou crossfire? Vão ligar uma máquina de tirar finos USB? Isto convém estar contabilizado para manter a fonte útil durante muitos anos.

Compatível

Esta dica é mais para quem compra pela Amazon e afins. Reparem se a fonte de alimentação é compatível com as fichas que usam.

Conclusão

A maioria das pessoas precisa de algo simples, mas é bom saber as opções disponíveis. Acima de tudo evitem comprar fontes fracas!

Como testar fonte de alimentação do computador

Artigo muito técnico, convém pelo menos saber montar um PC para dar utilidade a esta informação.

Porquê testar a fonte? Já alguma vez tiveram PCs a desligar-se numa casa e não noutra? PCs que estão bem durante 10 horas e depois desligam-se?  Estes problemas misteriosos normalmente são o resultado de uma fonte de alimentação podre e costumam criar os problemas mais aleatórios e difíceis de resolver.

Antes de mais um pouco de informação acerca das fontes de alimentação. As fontes de alimentação convertem a corrente AC das fichas na parede AC em corrente DC. As fichas da parede mandam cerca de 230 volts (representado pelo V) e os PCs precisam normalmente entre 3 e 12v. Os volts são o equivalente à pressão da água. Quando esta pressão eléctrica é baixa ou alta os componentes do PC podem estourar. E tal como a pressão de água, também há picos de pressão eléctrica, o que é mau.

A seguir vou explicar como fazer testes à fonte:

  1. Testar uma fonte de alimentação sem usar a motherboard.
  2. Testar se a fonte de alimentação está a converter correctamente a corrente AC para DC. (Medir os volts)
  3. Soluções alternativas

Obviamente não me responsabilizo por erros vossos, podem apanhar choques e queimar componentes.

Testar uma fonte de alimentação sem usar a motherboard

Este teste é útil porque isolamos a fonte e com isto isolamos o problema. A fonte vai ligar automaticamente sem precisar de carregar no botão de power. Basicamente vão fazer uma ligação directa na fonte de alimentação. Passos:

  1. Desliguem todos os cabos da fonte de alimentação.
  2. Desliguem a fonte (no botão).
  3. Arranjem um clip ou um fio metálico com isolamento (é melhor este porque… isola) e liguem o fio verde a um preto (como na imagem). Os fios pretos são todos fios terra e os outros são todos positivos. Mais info daqui a pouco.
  4. Liguem p.e. uma ventoinha do PC à fonte.
  5. Liguem a fonte (no botão).

Com isto a ventoínha deve começar a rodar, se a ventoinha não rodar a fonte está queimada.

Testar se a fonte de alimentação está a converter correctamente a corrente AC para DC. (Medir os volts)

A fonte de alimentação até pode estar a funcionar, mas não totalmente. A ficha principal da fonte de alimentação (Ver imagem abaixo) tem vários fios de várias cores, e a cada cor corresponde uma voltagem diferente. Se as voltagens não estiverem nos valores correctos a fonte está queimada.

Para testar os volts precisamos de um multimetro (é multi porque mede volts AC, volts DC, amperes e ohms (a unidade do Nuorte)). Um multimetro custa cerca de 15-20€  e dá para medir desde fontes de alimentação, a pilhas, tomadas, carregadores de telemóveis, etc.

Na BIOS do PC é possível ver os volts, mas multimetro (ver imagem abaixo) é muito mais fiável.

O que queremos medir é corrente DC, logo temos de ajustar o voltímetro para o V com as 2 linhas. Na imagem dá para ver que existem muitas opções no DC, mas o que queremos é colocar no 20. Estes valores são para definir a escala a que queremos medir. Imaginem que querem pesar 100g de farinha, não usam a balança da casa de banho para isso. Aqui é o mesmo, ajusta-se a escala para o 20 porque vamos querer medir volts na gama dos 3v a 13v.

A Direct Current (DC) circula só numa direcção, a Alternate Current (AC) circula em duas direcções. Não sei o que isto significa, mas sei que uso isto para me lembrar que o símbolo de corrente directa é mais… direito. OK, vamos medir as voltagens? Ainda não, está quase!

Primeiro temos de saber a que voltagem corresponde cada cor:

  • Preto – Fio terra (GROUND)
  • Verde – Especial, para ligar a fonte directamente.
  • Laranja (Orange) – +3.3V
  • Vermelho (Red) – +5V
  • Amarelo (Yellow) – +12V
  • Roxo – +5VSB
  • Azul – -12V

Já usaram o verde e um preto para fazer a ligação directa (tópico anterior), agora vamos poder usar os outros. Pus o nome das cores em inglês porque é uma boa maneira de lembrar as 3 voltagens principais (3.3, 5 e 12v). Se ordenarem por ordem alfabética da cor também têm ordem crescente da voltagem.

Como os volts variam um pouco, convém ler o manual da fonte para saber a variação possível de cada voltagem. Mas regra geral a variação permitida é de +/-5%.

  • +12V: Os PCs retiram cerca de 70 a 95% da energia que necessitam desta voltagem. CPU, gráficas, discos, ventoínhas, chipsets principais da motherboard, drives ópticas, etc. Logo com a variação de 5% os valores têm de estar entre 11.40V e 12.60V.
  • +5V: Usado para chipsets da motherboard, algumas ventoinhas, aparelhos usb, etc. Logo com a variação de 5% os valores têm de estar entre 4.75V e 5.5V.
  • +3.3V: Usado na RAM, chipsets da motherboard, etc. Logo com a variação de 5% os valores têm de estar entre 3.20V e 3.46V.

As outras cores não são tão importantes, têm mais informação nos links no final.

Está na hora:

  1. Liguem alguns componentes à fonte, convém que estejam a usar 20-30w, uns 15% do que costumo usar (ver link). Quando testo a minha fonte actual, tenho valores errados se só tiver uma fan ligada. Se ligar alguns componentes já ficam dentro da variação.
  2. Façam ligação directa (com o clip) como mostrei no tópico anterior.
  3. Liguem o multimetro e ponham no modo DC 20. Neste momento já devem ter ligado os dois sensores no multimetro, um fio preto e um vermelho cada um com pontas metálicas, ver imagem seguinte.
  4. Para cada cabo que sai da fonte encostem num fio preto o sensor preto do multimetro, e o sensor vermelho do multimetro num fio de cor.
  5. Deixem estar o sensor preto e vermelho durante uns 10 segundos para confirmar que não há picos de corrente.
  6. Se os valores estiverem dentro dos 5% de variação , a fonte está boa, senão a fonte está queimada.

Como podem ver na imagem este encaixe (molex) está a marcar 5.18 para o fio vermelho (5v), logo está dentro dos limites tolerados (entre 4.75V e 5.5V).

Vejam este vídeo e vejam os links das referências, convém assimilar bem os conceitos se não querem assimilar uma faísca…

Soluções alternativas

Apesar de tudo isto só mostra que a fonte está má, não prova que a fonte está boa. As fontes são manhosas. Um problema da solução anterior é que podem ter picos de corrente em apenas certas alturas. Para medir esses picos podem usar um osciloscópio. Não faço ideia como usar este aparelho, só sei que são mais caros que uma boa fonte nova.

Logo a solução seguinte é a mais simples de todas: Tenham uma fonte de alimentação para testes que saibam que está boa. Troquem por umas horas e vejam se tudo corre bem.

Ainda existe outra solução: Comprar um medidor de fontes de alimentação. É um encaixe que se coloca no cabo de 20/24 pinos que indica se tudo está bom. Ainda prefiro o multimetro, é mais versátil.

P.S.: Os problemas mais difíceis que tive até hoje foram: fontes queimadas; dois problemas em simultâneo; um parafuso que ficou preso na motherboard e eu não o vi e a motherboard fazia contacto e nem sequer ligava. E os vossos?

Ver temperatura no pc

Estou a ver se silencio o meu pc e como de costume tenho de verificar se o PC não aquece muito.

Estava a usar o speedfan mas a interface é confusa e as temperaturas muitsa vezes não fazem sentido. Encontrei um que parece mais fiável e mais simples que o speedfan.

Core temp

image

Agora tenho de comprar uma fonte nova e um cpu cooler novo. Talvez tenha de comprar uma torre também para conseguir encaixar o cpu cooler. Isto custa-me de 180€ a 400€ dependendo dos componentes e compatibilidade com o que já tenho.

Isso ou compro umas extensões para os cabos e meto o pc numa casota lá fora…