Santoinho: O quadrado das berlengas

Ontem fui ao Santoinho. Para quem não conhece, é uma espécie de restaurante em que se está sempre em festa e que se bebe todo o vinho que conseguirmos! Por incrível que pareça nunca vi violência e aquilo tem mesmo muuito gajo borrachom! E tem uma elevada densidade de gajas boas (um chinelo rasou a minha orelha esquerda). No entanto ontem coisas estranhas aconteceram.

Primeiro: Para dar com o sítio tive de perguntar a 3 pessoas e cada uma dava indicações que passavam por cerca de 38 rotundas em que depois passava por uma estrada com curvinhas. Só um puto é que conseguiu ajudar e realmente o Santoinho é ao lado do “eclair” (superficie comercial) como ele tinha dito. Lá dentro, depois de ter ido uma vez à casa de banho, reparei que não consegui voltar lá. Andei perdido meia hora para dar com a casa de banho. Também reparei que aquilo tem várias tabuletas com setas a indicar onde fica o vinho, até tenho fotos com uns amigos meus por baixo das tabuletas para nunca corrermos o risco de nos perder.

Segundo: A mesa onde estava obviamente tinha gente conhecida, no entanto mesmo ao lado estava um amigo meu de Pevidém, a vila onde moro que tem menos de 6000 habitantes! Noutras 2 mesas estavam vizinhos desse meu amigo. Mais outro amigo que conheço desde o tempo do ciclo. Sem falar no povo da universidade que conhecia! E ninguém combinou encontrar-se lá, foi pura coincidência! Isto chegou ao ponto de um deles ter falado em combinar um jantar do povo do nono ano!

Terceiro: Andava tudo a falar em casar e/ou ter filhos! Soube de futuros casamentos, soube de casamentos passados! Que raio é que puseram no champarreão*?

Como é que no Santoinho encontram-se bem as pessoas mais próximas mas não se encontra a casa de banho? Porque é que a taxa de natalidade/casamentos aumenta? Simples, Santoinho está em cima do quadrado das Berlengas**.

* – mistura de vinho e champanhe acho, sei que é docinho e sei que é feito na hora, vai lá um gajo provar para ver se está bom e está sempre bom.

** – parente próximo do triângulo das Bermudas

3 thoughts on “Santoinho: O quadrado das berlengas

  1. Eu posso assegurar que Pevidém seria a Vila com mais representantes no Santoinho! Era Pevidenses por todo o lado. :D

    Até o meu vizinho da frente lá estava e ás vezes passo semanas sem o ver!! :P Ah!! E o Tónio, que já não o via há anos!!! Lá estava ele!

    Para o próximo ano vou levar comigo para o Santoinho o papel com os procurados pelo FBI. Tenho fé que ainda vá receber alguma recompensa!

    De resto, o “binho” é para ingerir com fartura, mas sem provar! É que aquilo não convem tocar na lingua. Vale o Champorreão, esse sim, muito bom!

  2. Eu fui lá este ano e é simplesmente GENIAL! Não encontrei ninguém da minha terra (GRAÇAS A DEUS!!!) mas encontrei muita gente conhecida e amigos de amigos meus! LOL)!! Também fiquei a saber de 1 casamento e de 2 grávidas… Isto realmente… Essas teorias têm MUITAAA lógica! Também tenho um casal amigo que se conheceu há 4 anos no SANTOINHO!! ahahah
    N vi violência, havia MUITOOOO homem e MUITAAAAA mulher, tudo bêbedo (obvio!!), mas smp c respeito e smp, smp, smp c muita diversão!
    Aconselho a TODAAAAAASSSSS as pessoas!!!

    Bjo

    Ritta

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s